Insolação

Insolação, aprenda a proteger os mais pequenos

FullSizeRender

Insolação, aprenda a proteger os mais pequenos
Por Marisa Ferreira.


Chegou o verão e com ele a praia, a piscina e os tempos passados ao ar livre. Entusiasmados com as brincadeiras e a alegria que esses momentos lhes proporcionam, as crianças correm sérios riscos se não forem protegidas dos malefícios da exposição solar excessiva. 
Aproveite o verão ao máximo, proteja os mais pequenos dos perigos do calor. Saiba como prevenir a insolação e aprenda a reconhecer os sinais de alerta.


Previna:


  • - 30 minutos antes de saírem de casa, aplique protetor solar de índice elevado,
  • eficaz contra os UVB e UVA, que deverá ser reposto a cada 2 horas e/ou
  • sempre que a criança tome vá à água. Usar o protetor não só na praia e
  • piscina, mas também em todas as atividades ao ar livre (desporto,
  • 'brincadeiras'...).
  • - Vista as crianças com roupas leves, frescas e de algodão.
  • - Óculos de sol com proteção anti-UV.
  • - Na praia, colocar um chapéu com abas (proteção da face, nariz, orelhas e
  • nuca), usar roupa protetora (braços, tronco, pernas).
  • - Evitar as horas de maior calor, ou seja, entre as 11h00 e as 17:00, dado que
  • neste espaço de tempo o sol incide verticalmente à camada de ozono e os
  • UVA e UVB atravessam-na mais facilmente. 
  • - Preferir a sombra, protegendo a criança do calor, especialmente em crianças
  • com menos de 1 ano de idade.
  • - Com templo nublado não se esqueça do protector solar, uma vez que os raios
  • são quase tão perigosos como com sol.
  • - Tenha em atenção o reflexo dos raios solares na neve (85%), na praia (20%),
  • na água e na relva (5%). Estar à sombra de uma chapéu de sol ou toldo não é
  • suficiente para evitar os escaldões.
  • - Manter a hidratação com ingestão de água e frutas. A exposição a radiações
  • solares elevadas por mais tempo do que o organismo consegue suportar, irá
  • provocar uma produção excessiva de suor, na tentativa de autorregulação
  • térmica. O calor intenso, a subsequente perda de água no corpo, a utilização
  • de roupas inadequadas que impedem a evaporação do suor, são algumas das
  • condições favoráveis a que a desidratação severa aconteça. 

Nunca deixe a criança no interior do automóvel, nem que seja por breves instantes, pois no interior do carro a temperatura tende a subir exponencialmente.

As crianças com menos de 3 anos não devem ser expostas à luz directa do sol.

Sinais de alarme


Se a criança se queixar de secura na boca, sede e/ou apresentar a pele vermelha e ressequida, retire-o imediatamente do sol e tente repor a hidratação com ingestão lenta de água. A falta de cuidados podem provocar febre com temperaturas iguais ou superiores a 40°C, dor de cabeça, respiração ofegante e falta de ar, enjoos, vómitos e diarreias, agitação, irritabilidade, aumento dos batimentos cardíacos, confusão mental e delírio, fala arrastada e convulsões. 
Em caso de desmaio ou mal-estar geral, ligue, de imediato, para o serviço de emergência médica (112). Enquanto aguarda pela assistência médica, transporte a criança para um local fresco e arejado, deite-a no chão com a cabeça elevada, tente repor a 
hidratação através da ingestão de pequenos golos de água fresca e aplique toalhas húmidas no rosto e corpo. Para estimular a circulação sanguínea, massaje com suavidade algumas zonas do corpo e não dê nenhum medicamento analgésico à criança. 
A insolação é uma condição perigosa que poderá causar lesões graves em órgãos internos vitais, como o cérebro, coração, rins e músculos, se não for forem tomadas medidas de urgência. Mas é completamente evitável se adotar medidas de prevenção.