Terapias complementares

Osteopatia Craniana e Terapia Crânio Sacra

a

Osteopatia Craniana e Terapia Crânio Sacra

(por Dra Anabela Cordeiro)


A Terapia Craniossacral também conhecida por crânio sacra com origem na Osteopatia Craniana, é uma técnica manual suave que ajuda a detectar e corrigir desequilíbrios no sistema craniossacral, que podem causar disfunções sensoriais, motoras ou neurológicas. Promove a vitalidade e o bem-estar geral, regulando o funcionamento do sistema nervoso central e autónomo.
O sistema craniossacral é constituído pelas meninges, fluido cerebrospinal, os ossos do crânio e o osso sacro que se localiza na base da coluna vertebral. É um sistema extremamente importante no corpo humano, uma vez que por ele passa quase toda a informação nervosa e tem uma relação muito íntima com os sistemas nervoso, músculo-esquelético, vascular, endócrino e respiratório.

O tratamento consiste na normalização das estruturas fisiológicas do crânio, coluna vertebral, sacro, cóccix e de todo o corpo. Através da terapia craniossacral, influenciam-se todas as estruturas internas, como órgãos e vísceras

A terapia craniossacral é suave, delicada através da qual se trabalha o corpo profundamente para restabelecer o equilíbrio psicossomático e promover a autocura inerente ao corpo humano.

Entre outras é muito eficaz no tratamento de dores agudas e crónicas, enxaquecas, dores de coluna, hérnias discais, whiplash, disfunções da ATM, fadiga crónica, problemas visuais, problemas auditivos, zumbidos nos ouvidos, problemas menstruais, alterações gastro-intestinais, problemas circulatórios, labirintites, dificuldades de coordenação motora, hiperactividade, distúrbios de atenção, dificuldade de aprendizagem, tensões musculares, stress, depressão, insónia, ansiedade, irritabilidade, esclerose múltipla, dislexia, parkinsosn, autismo e outros distúrbios do sistema nervoso central, depressão. É também indicada como complemento no tratamento de traumas, choques e acidentes; e como terapia preventiva por aumentar a resistência do Sistema Imunológico e a capacidade e auto-cura natural do corpo, ajudando nas questões do envelhecimento e desequilíbrios hormonais.

Dependendo do paciente os efeitos do tratamento podem ser imediatos e/ou cumulativos, eliminando em vários casos a necessidade de cirurgias e reduzindo o uso de medicamentos. Os pacientes mais jovens respondem mais rapidamente ao tratamento, e os casos crónicos e de maior severidade podem necessitar de tratamento semanal por vários meses.

A Terapia craniossacral impulsiona ao corpo lidar com a doença da melhor maneira possível uma vez que trabalha a favor da fisiologia individual, melhorando os mecanismos naturais de auto cura no sentido da saúde. O equilíbrio do sistema nervoso central e autónomo promove um relaxamento corporal profundo e um estado de quietude e harmonia.

Osteopatia. O que é?

osteopatia-2d
(por Dra Anabela Cordeiro)


Osteopatia. O que é?

A osteopatia é um método manual e natural, que procura restabelecer o movimento e dar equilíbrio aos ossos, músculos, tendões, vísceras e estruturas cranianas. É um meio para reencontrar uma postura adequada e movimentos sem dor. Ajustando o equilíbrio interno e eliminando tensões, visa uma harmonia holística do corpo, proporcionando bem-estar.
A consulta de Osteopatia é sempre individual. Consta de um primeiro tempo avaliativo e um segundo tempo terapêutico. Na primeira parte o Osteopata interessa-se pelo estado de saúde geral e realiza uma série de perguntas e testes manuais para identificar as estruturas em disfunção. Após essa identificação aplicam-se as técnicas manuais necessárias para normalizar a função e eliminar os sintomas do paciente. ggggggggggggggggggggggggggggggggggggg
Independentemente da sua idade todas as pessoas podem fazer tratamento osteopático. É da responsabilidade do Osteopata aplicar tratamentos específicos em função das necessidades individuais de cada paciente.

Algumas indicações da Osteopatia:


        A Osteopatia está reconhecida pela Organização Mundial de Saúde como uma terapia complementar. Vários estudos têm sido publicados a comprovar cientificamente a sua eficácia.

        A Osteopatia tem bons resultados em várias situações porque vê o corpo na sua totalidade. Muitas vezes a origem do sintoma não coincide com o local onde ele se manifesta. A Osteopatia procura tratar a causa do sintoma para resolver o problema. Uma disfunção no pé obriga a que o joelho e a bacia se adaptem e quando estas estruturas não conseguirem aguentar mais pressões, o corpo começa a compensar pela coluna lombar e assim consecutivamente. Esta lógica aplica-se a todas estruturas do corpo, quer sejam mecânicas ou viscerais.