Visão

Ponto Clínico é um projeto na área da saúde, que visa contribuir para a melhoria da qualidade de vida da comunidade colocando a sua saúde e bem-estar como conceitos básicos da sua existência.
No nosso espaço, é possível encontrar um vasto e excelente grupo de profissionais com formação adequada que lhe proporcionarão um conjunto de serviços que contribuirão para o seu bem-estar físico, mental e social.
Não descurando a missão social que este tipo de empresa deve protagonizar, o objetivo deste projeto não é apenas tratar, mas contribuir, através da formação da comunidade em geral e do indivíduo em particular, para a prevenção e para a valorização pessoal.
Um utente será um amigo, a quem dedicaremos conhecimento, atenção e tempo necessários à sua total recuperação.
Paulo Alexandre Videira,

Administrador

Missão
Os últimos anos, trouxeram ao sector público em geral e à saúde em particular muitas dificuldades. Muitas vezes, colocando em causa o direito à saúde. Foram fechados Hospitais, minimizaram-se valências e fecharam-se urgências. O resultado, foi uma algo perversa distância entre as populações mais isoladas do interior e as instituições de saúde. Infelizmente, Vila Flor não foi excepção!
Apesar da polivalência e da inerente abrangência do projecto, rapidamente fomos obrigados a dar uma atenção especial aos utentes que se apresentam mais carências de diferentes níveis. Os idosos!
Sensibilizados com o número de idosos a residir no concelho, muitas vezes isolados, a nossa equipa assume o compromisso social de para eles trabalhar através de um conjunto de acções e parecerias que visam não só um acompanhamento permanente mas uma constante aposta na prevenção e na informação. Fruto disso são os nossos eventos informativos e as nossas constantes acções de rastreios.
Mais do que assumirmos um papel de referência na comunidade, pretendemos acompanha-la integrando-a de forma motivada e dinâmica sem esquecer o respeito e o valor básico, a vida.
Anabela Cordeiro,
Coordenadora Técnica


Stacks Image 13614
Stacks Image 13618

Diretos e Deveres do Utente

A Constituição da República Portuguesa consagra
o direito à saúde definindo esse direito através de um conjunto de valores fundamentais como a dignidade humana, a equidade, a ética e a solidariedade.
Conhecer não só os seus direitos, mas também os seus deveres é a melhor forma de ter um papel activo na
melhoria continua dos serviços de saúde.

Direitos do Utente

  • O doente tem direito a ser tratado no respeito pela dignidade humana;
  • O doente tem direito ao respeito pelas suas convicções culturais, filosóficas e religiosas;
  • O doente tem direito a receber os cuidados apropriados ao seu estado de saúde, no âmbito dos cuidados preventivos, curativos, de reabilitação e terminais;
  • O doente tem direito à prestação de cuidados continuados;
  • O doente tem direito a ser informado acerca dos serviços de saúde existentes, suas competências e níveis de cuidados;
  • O doente tem direito a ser informado sobre a sua situação de saúde;
  • O doente tem o direito de obter uma segunda opinião sobre a sua situação de saúde;
  • O doente tem direito a dar ou recusar o seu consentimento, antes de qualquer ato médico ou participação em investigação ou ensino clínico;
  • O doente tem direito à confidencialidade de toda a informação clínica e elementos identificativos que lhe respeitam;
  • O doente tem direito de acesso aos dados registados no seu processo clínico;
  • O doente tem direito à privacidade na prestação de todo e qualquer ato médico;
  • O doente tem direito, por si ou por quem o represente, a apresentar sugestões e reclamações.


Deveres do Utente

  • O doente tem o dever de zelar pelo seu estado de saúde. Isto significa que deve procurar garantir o mais completo restabelecimento e também participar na promoção da própria saúde e da comunidade em que vive;
  • O doente tem o dever de fornecer aos profissionais de saúde todas as informações necessárias para obtenção de um correto diagnóstico e adequado tratamento;
  • O doente tem o dever de respeitar os direitos dos outros doentes;
  • O doente tem o dever de colaborar com os profissionais de saúde, respeitando as indicações que lhe são recomendadas e, por si, livremente aceites;
  • O doente tem o dever de respeitar as regras de funcionamento dos serviços de saúde;
  • O doente tem o dever de utilizar os serviços de saúde de forma apropriada e de colaborar ativamente na redução de gastos desnecessários.



Stacks Image 13609